Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

Ajô Cocorô quer dizer "Olho Grande" . Diz-se de uma pessoa que exerce grande influência magnética com o poder do seu olhar. O vulgo costume se referir ao ajô cocorô com as expressões de : " Seca pimenteira", "Mata passarinho", etc. O italiano fala em " Jetatura". Conforme o povo imagina, o mau olhado dá febre em criança, quando os europeus julgavam haver descoberto a força atrativo-magnética do homem, isto é, a sua vontade férrea de transmitir boas os más influências, já os africanos conheciam o fenômeno, há muitos séculos e lhe davam a merecida importância. Há pessoas de constituição fraca, que são atraídas por tais influências.Outras, ao contrário, são dotadas da faculdade de atrair indivíduos de tendências diferentes, produzindo-se, então, o choque dos fatores opostos. Dá-se o nome de ABD?N ao individuo azarento. Se acolhemos um ABD?N, poderemos desgastar o nosso ELEDÁ (Anjo da guarda). Os umbandistas antigos, quando deparavam com um sujeito desses, não o acolhiam em sua residência. Davam-lhe o auxílio de que necessitasse,e em seguida, ordenavam que seguisse o seu caminho. Muitos estudiosos da lei de umbanda aconselhavam a não interferir no destino de quem estava passando por uma provação. De que adianta colocarmos sobre nossos ombros parte do fardo que não nos pertence ? Cada qual que cumpra o seu destino, de acordo com a lei da evolução espiritual, de encarnação em encarnação. Se encontravam alguém cujo o ELEDÁ combinava com o seu, proporcionavam-lhe toda a espécie de auxílio possível . Diz Pery Reggio em uma de suas obras :"Já observaram os leitores que, após cumprimentarmos certas pessoas, ficamos com as mãos inchadas, doloridas ?" " em certas festividades e exibições públicas já observaram que alguns dos artistas se sentem mal, desmaiam ou perdem a voz?".

Os descrentes negam as influências malignas, transmitidas através do olhar ou do contato. Mas, os umbandistas, não, pois conhecem as causas verdadeiras que produzem tais fenômenos. Não se pode conhecer tudo o que existe na terra. Em um artigo, a respeito do "mistério da orientação" o cientista americano Alan Devoe conclui que a natureza continua guardando os seus segredos, e que os dotes que permitem as criaturas vivas se orientarem tem raízes profundas na química da vida. E escreve esse naturalista : "Alguns naturalistas se convenceram de que há uma força desconhecida em ação - uma força que guia os seres por influências fora da esfera sensorial, fora da esfera mecânica, fora de toda esfera de ação da ciência. Haverá realmente um desconhecido desse gênero ?" Sim- dizemos nós - há um fator desse gênero que é a química astral.

Os antigos umbandistas faziam suas rezas com palavras sagradas ou com banhos, a fim de afastarem o mal, porque o campo de influência magnética é bastante amplo. o " MAU OLHADO" é um fato comprovado. Quantas vezes já não se assistiu olhar alguém para uma criança, para uma criação ou uma plantação, e logo depois a criança perder a vivacidade, o gado ou as árvores darem sinal de atrofiar ou de morte ? há indivíduos que olham para lâmpadas, objetos de cristal, peças frágeis, e estas logo se quebram, inexplicavelmente. Plantas há que resistem as influências maléficas porque possuem substâncias imunizadoras. são destas plantas que os umbandistas fazem os "BANGU?S" . Quando o mal é muito forte, faz-se a " MUGINGA" com o " QUI??" ou a "ADJ?" ( galo ou galinhas pretas), transportando-se o mal para o animal. Despacha-se depois o EB?, pronunciando-se as palavras mágicas próprias. Entrega-se o EB? ao EX? a que pertence o mal. Muitas vezes, faz-se a " MUGINGÁ" com o " ELEDI?" ( pombo). Encontramos, algumas vezes, pombos, galinhas e outros animais " preparados" para a transferência, tais coisas podem incorrer em fracasso. Acontece também as nossas atrapalhações são causadas por nós mesmos. O conhecimento desses e de outros mistérios fortalece os umbandistas. Há quem diga por aí que seguimos a umbanda africanizada, mas de onde veio a umbanda, senão da África ? E o catolicismo não veio de Roma ? Apesar dos pesares, a umbanda de hoje desfruta de uma grande influência. Graças a qualidades positivas - pureza de caráter, sadias intenções e objetivos honestos - é que conseguimos chegar ao ponto em que nos encontramos - a verdadeira umbanda.