Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

Em cada dia da semana, há um Orixá correspondente, que governa no período de 24 horas. Na pessoa, o orixá que o domina abrange 4 partes, sendo 2 masculinos e 2 femininas : EX? e POMBA_GIRA, o ELEDÁ( Anjo da guarda) e o feminino do ELEDÁ. Significam os pólos positivo e negativo, nosso companheiros invisíveis.

O espírito que vem à terra por ocasião do nascimento, tem o livre arbítrio, para os fins de purificação e provação, pois a terra é um planeta de provações. O individuo é protegido por seu Eledá, para haver a purificação do espírito. Quando o espírito em evolução sai fora do caminho do bem, o seu anjo de guarda não o abandona, mas lhe vira as costa e continua a dar sua proteção no terreno que lhe foi pedido. Se o indivíduo fizer o bem, se dará bem; se fizer o mal terá o mal.

Em nosso culto, o sacerdote tem a obrigação de orientar e aconselhar para o bem, mas não pode cortar a provação imposta ao espírito em evolução neste planeta. O interessado, sim, é que pode cortar a sua provação, procurando praticar bons atos, auxiliando aos necessitados, minimizando o sofrimento do próximo. Zambi, o Deus supremo, simboliza a perfeição e a bondade. Com os Orixás, protege e socorre a humanidade. De outro lado, Zumbi socorre seus protegidos. Assim, cada setor da vida material e cada órgão do corpo humano são governados por uma entidade espiritual celeste. A natureza participa desse processo de divisão do trabalho e das influências. Há uma completa identidade entre a natureza e o criador. Através dos fenômenos naturais, manifesta-se a vontade divina, as suas leis são imutáveis e eternas, no tempo e no espaço. Não é necessário que Deus intervenha a todo momento nos fenômenos da natureza, pois é onipotente e onisciente. O tempo do senhor está no coração do crente. Se lhe dirigirmos uma prece angustiada, Zambi atenderá, pelos caminhos que a nossa vã inteligência não pode perceber.

A natureza é assim. Entramos na mata, de espírito contrito, deixando cá fora os preconceitos, as inibições, os ressentimentos, sentimos logo o poder das leis divinas e a fragilidade das pobres leis humanas. Observamos as plantinhas, as ervas as flores mimosas que desabrocham umas ao alvorecer, outras à tardinha. Pois cada uma dessa erva tem uma função especial, é dominada por um espírito da natureza, ao qual denominamos ORIXÁ.

O dia é dividido em 4 partes : 0 hora às 6 horas; 6 horas às 12 horas; 12 horas às 18 horas ; 18 horas às 24 horas. de acordo com as nossas concepções religiosas, 6,12,18 e 24 são HORAS ABERTAS, propicias ao recolhimento espiritual e as cerimônias sagradas . o interessante é que a maioria dos cultos religiosos, no mundo inteiro, pensa como nós Umbandistas, nesse particular. As ervas obedecem a essas quatro influências do dia. Umas governam a parte do dia, outras a da noite e ainda outras servem para todas as horas.

O sol governa as partes do dia, a lua as da noite. Quanto à lua, cada uma de suas 4 fases- cheia, minguante, nova e crescente- exerce uma influência diferente, conforme passaremos a examinar mais adiante.


O sol e as fases da lua.

Conhecida, pois, a intima relação entre Deus, a natureza, o Orixá e o espírito evolutivo que encarnou em nós , por ocasião do nosso nascimento, devemos proceder em harmonia com esse conhecimento. Devemos obedecer a QUIZILIA de nosso anjo da guarda, isto é, as suas peculiaridades e características individuais. Nem todo mundo conhece as QUIZILIAS, mas conhece quando faz o bem ou o mal. Por isso, somos responsáveis pelos nossos atos e nada se faz sem pensar. A ira, por exemplo, pode causar atitudes irrefletidas, de péssimas conseqüências. Cada qual deve usar as ervas correspondentes a seu ELEDÁ. Tudo que não esta de acordo com nosso ELEDÁ nos contraria. por motivo de sincretização religiosa havida no Brasil, mudaram as épocas de se fazer as obrigações para o santo. Faz-se hoje diferentemente , sem respeitar a CABALA que está dentro das forças da natureza. Há tempo para tudo. No ritual religioso, cada ato deve ser executado no momento oportuno, para que dê certo um "trabalho", é necessário que se marque o tempo conveniente porque a natureza manda. Assim também com as palavras mágicas. Cada palavra tem os seu som vibratório cabalístico próprio . por exemplo: MIRONGA, palavra composta de sete letras, está dentro da cabala. Quer dizer : mistério, coisa encoberta. Já MILONGA quer dizer: coisa atrapalhada . FUNDANGA , pólvora, está em consonância com a cabala, tanto para o bem como para o mal.