Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

(continuação)

A Coroa Divina tem regido todas as religiões concretizadas no plano material que serviram à escala evolutiva humana. Mas também atua com a mesma intensidade nas outras dimensões, onde outras escalas evolutivas existem, ainda que atuem de modo diferente da escala humana.
Se interpretarmos as essências divinas assentadas na Coroa Regente, veremos que as discórdias religiosas que surgem de vez em quando no plano material só se devem:

a)Ao desconhecimento dos fundamentos divinos;
b)Aos interesses político-religiosos;
c)Aos interesses econômicos mercantilista;
d)? ignorância humana acerca do Divino Criador Olorum, que também posso chamar de Iavé, Brahma, Zeus, Rá, Alá, Tupã, Deus, etc.

Todos são nomes para o mesmo Divino Criador. No entanto, de posse de um desses nomes, povos guerrearam e dizendo-se portadores de uma missão divina, mataram semelhantes que eram filhos do mesmo Deus, pois se só existe um, então todos somos seus filhos.
Estudando a Coroa Divina, encontramos nas sete essências assentadas a origem de todas as divindades já concretizadas religiosamente no plano material e que foram ou são adoradas por milhões de seres humanos através dos tempos.
Do Trono da Fé (essência Cristalina) já adentraram no meio material-humano tantas divindades, que nos é impossível nomeá-las aqui. Mas que saibam todos que Apolo, Aton, Krishna, Jesus Cristo, Buda e tantos outros seres celestiais ??humanizados??, são todos originários dele, o divino Trono Cristalino assentado na Coroa Divina, que aqui denominamos ??Oxalá??, o Trono por onde fluem as irradiações de fé do divino Olorum.
A Justiça Divina flui e irradia-se por meio de Xangô e Egunitá.
O Amor Divino flui e irradia-se em Oxum e Oxumaré.
O Conhecimento Divino flui e irradia-se em Oxóssi e Oba.
A Lei Divina flui e irradia-se em Ogum e Iansã.
O Saber Divino flui e irradia-se em Obaluaê e Nanã.
A Geração Divina flui e irradia-se em Iemanjá e Omolu.
Só que esses seus manifestadores nem sempre têm chegado ao plano material com esses nomes. Isto tem confundido a religiosidade, já que de Tronos assentados em níveis diferentes têm sido enviados à dimensão humana seres celestiais (divindades) com missões diferentes a cumprirem, uma vez que em níveis evolutivos diferentes eles têm de atuar.
Não são só os níveis evolutivos que são diferentes. As culturas, o saber religioso, as naturezas humanas, os anseios, as expectativas e os desejos, as concepções religiosas, a ancestralidade (divindades predecessoras) também o são.
A diversidade tem sido necessária, pois o nível cultural, mental e a concepção religiosa do europeu não são as mesmas do africano, do hindu, do árabe, do chinês, ou do indígena, etc.
A tudo isso a Coroa Divina está atenta o tempo todo e durante todo o tempo e atende a todos, não deixando nunca de colocar diante dos espíritos humanos uma ou várias divindades que mais falem aos seus corações para conduzi-los equilibradamente à ascensão consciencial e à evolução espiritual.
Portanto, que os amados filhos de Umbanda não sigam o Ritual Africano ancestral de culto aos orixás sagrados, isso é compreensível e aceitável e a recíproca também o é.
Mas que uns não ofendam aos outros porque os sagrados orixás estão amparando as diferentes ??naturezas?? humanas.
Não existe um Oxalá para o Candomblé e outro para a Umbanda, assim como não existe um Jesus Cristo para o católico e outro para o protestante e mais outro para os espíritas, pois estes também fundamentam sua doutrina nele, o Mestre Divino.
Ou não é verdade que iniciam suas abençoadas reuniões repetindo o que disse Ele: ??Onde dois ou mais, em meu nome estiverem reunidos, lá estarei.??
??Ele?? realmente estará e se manifestará através dos seus seguidores no nível afim com os que, em seu nome, se reunirão.
O mesmo ocorre na Umbanda Sagrada, onde médiuns se reúnem em nome dos orixás e estes a todos se manifestam através de seus mentores espirituais afins com os médiuns que os invocam.
Se forem médiuns curadores, guias curadores lhes acorrem.
Se forem médiuns doutrinadores, guias doutrinadores deles se aproximam.
Se forem médiuns cortadores de ??demandas??, guias afins com os choques cármicos se manifestam.
Enfim, em cada nível os orixás sagrados têm suas hierarquias afins com os encarnados que os invocam, pois em seus poderes confiam e a eles recorrem durante seus trabalhos espirituais.
E se assim é, isso se deve porque todos os orixás sagrados são Tronos celestiais pelos quais as sete essências divinas fluem, irradiam e se manifestam, alcançando todos os níveis vibratórios, todas as criaturas, o tempo todo e durante todo o tempo.

LIVRO: As Sete Linhas de Umbanda
AUTOR: Rubens Saraceni
ORIENTA??O ESPIRITUAL: ??Li-Mahi-Am-Seri-yê??