Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

Data Comemorativa : 27 de Setembro

Cosme e Damião eram irmãos gêmeos, filhos de piedosa senhora cristã, de nome Teodota, que os criou dentro dos princípios do cristianismo, ensinando-lhes a cumprir a lei de Deus e praticar o bem sempre que lhe fosse possível. Tinham 3 irmãos mais velhos: Antimis, Leôncio, Euprépio. Cosme e Damião nasceram no fim do século III, na antiga província de Celícia, na Asía menor, numa pequena cidade chamada Egéia, nos confins dos vastos desertos da Arábia, a pequena cidade onde nasceram e aprenderam as primeiras letras era então um ponto de concentração das caravanas e do comércio oriental, lugar onde partiam as pistas incertas que levaram aos desertos.

Quando rapazes, os dois irmãos foram cursar medicina, em Cítia, onde puderam estudar assuntos e ciências mais adiantadas. Pode parecer estranho que, naqueles tempos, a província de Cítia possuísse escolas assim adiantas para o ensino da medicina. Ao estudar as migrações da antiguidade, as relíquias dos idiomas extintos, as tradições sagradas e profanas, os monumentos, a história a zoologia, a botânica, as artes e as ciências,verificamos que tudo provém do oriente e que o berço tradicional do gênero humano deve colocar-se pouco mais ou menos lá onde foi colocado pela bíblia. De lá vieram as línguas antiqüíssimas que envolvem as coisas divinas e humanas na sombra misteriosa do símbolo, do hieróglifo e das quais, de modo diverso, germinaram como dialetos, as línguas todas quer foram e são faladas ainda na terra . De lá, também o alfabeto, os algarismos numéricos, os elementos de astrologia; e de lá, as doutrinas filosóficas, as artes, as ciência todas no seu germe. A história de Roma e da Grécia que a nossos jovens, nos bancos da escola, parecia antiqüíssima hoje se mostra recentíssima e como que nascida ontem. Tudo vem a nós do oriente, todos nos somos filhos e discípulos do oriente, e a nossa honra e a de havemos elaborado e aperfeiçoado aquilo que os nossos antepassados trouxeram do oriente. Além disto sabemos que naqueles tempos, Egéia tinha um ponto militar, servindo de desembarque para a Citia, construído pelos Romanos. Nada portanto, pode desautorizar a existência de escolas naquelas cidade. Cristo ocupou-se dos doentes sistematicamente porque era o médico por excelência.

Esses foram os pensamentos de Cosme e Damião ao estudarem a medicina, aprendendo aquela ciência prodigiosa que corresponde aos ideais de Jesus, que passou pela terra sarando e fazendo o bem a todos. desde cedo portanto, Cosme e Damião dedicaram-se a medicina, chegando a curar muitas e muitas doenças e ao mesmo tempo, como conseqüência, ganhando fama por toda região. Não se limitavam, porém, a cuidar dos homens, tinham pena dos animais que padeciam de um mal qualquer, e os curavam também. Apesar dos seus sucessos profissionais, os dois gêmeos nunca procuraram tirar vantagens das suas benéficas e prodigiosas intervenções clínicas. tudo faziam gratuitamente, ao contrário daquilo que os curandeiros do deserto costumavam praticar. O móvel de todas ações de Jesus foi sempre para o maior bem das almas. foram os leprosos curados, e em Cafarnaum, o paralítico que tornou a andar, e assim, por diante. Cosme e Damião, foram premiados por Deus, devido à sua santidade, com o poder de curar os doentes por simples invocação do nome de Jesus.

Terminados seus estudos na Citia seguiram para seu novo campo de ação na Ásia menor e prosseguiram especialmente pelos países do oriente, como a Arábia e Oriente Médio. andavam de uma província para outra, de vila em vila, restituindo aos cegos a luz; aos surdos a audição, aos doentes a saúde. atravessavam os desertos, penetravam em casa dos mais ricos e batiam na porta dos pobres dos pagãos, de todos, trazendo a eles as palavras santas do Cristo e os remédios para suas doenças. E aí começaram seus milagres como o do negociante chamado Tírios, na Egéia; a cura da viúva Paládia; a cura de um mago mordido por cobra, a conversão de um centurião Romano e inúmeros outros milagres. No ano 304 foi publicado o édito geral das perseguições contra os cristãos por determinação do imperador romano Diocleciano e executor da lei o cruel Galério. No ano 305, Galério publicou mais um édito, decretando desta vez a morte obrigatória para qualquer indivíduo que se declarasse cristão. esse édito ficou valendo no oriente como no ocidente. o próprio papa foi preso, mutilado em praça pública e seus restos mortais ficaram expostos ao ar livre durante vários dias. Este papa foi São Marcelino. Seus restos mortais foram recolhidos por São Marcelo que os enterrou no cemitério de Santa Priscila em Roma.

A província de Cilícia era governada pelo famoso proconsul Lísias , cujo governo tinha sede na própria cidade onde Cosme e Damião viviam e exerciam a medicina. Lísias soube que os célebres médicos haviam aderido ao cristianismo e os mandou chamar perante seu tribunal. Não houve, pois ameaças capazes de dar um resultado que fosse contrario a consciência dos santos, porque nada pode compensar a salvação da alma, condenados, foram açoitados, flagelados, suas carnes laceradas com pentes de ferro e então algemados foram arremessados ao mar em lugar de profundidade. o mar, porém, os devolve com vida a uma praia vizinha . Lísias então mandou que fossem jogados em uma grande fogueira sem êxito. Tendo falhado o processo da fogueira o proconsul determinou que fossem ambos crucificados, nada porém conseguindo o atroz lisias. Exausto e louco de raiva, o proconsul não sabia mais que suplício inventar ou ordenar, mandou chamar os três outros irmãos dos santos e deu ordem de suplicia-los também para dar o exemplo em público. Não tendo mais para o que apelar , mandou executar de uma só vez, os 5 irmãos.

E no dia 27 de Setembro que a cristandade, em massa , comemora a festa dos santos Cosme e Damião. esta solenidade foi instituída pelo papa Gregório II. O culto desses dois santos foi espalhado pelo mundo todo, há centenas de anos, sendo que o 1º templo que lhes foi dedicado fica em Constantinopla, hoje Istambul, capital da Turquia. O papa Felix, no século VI fundou duas basílicas aproveitando dois templos do paganismo dando-lhe os nomes de Cosme e Damião em Ravena a ábside em mosaicos, conta , em mural a história dos dois santos e dos seus milagres. Na Calábria contém os maiores templos em honra a Cosme e Damião. Na cidade de Pontamur, na França existe a famosa e monumental igreja de São Cosme e Damião. No ano de 1678, os religiosos chamados reformados conseguiram as relíquias dos santos. foram recebidas com grande solenidade e grande júbilo, sendo a igreja dedicada aos santos desde o ano 1734. outro importante centro de devoção dos santos fica na cidade de Napoles onde a cidade tem a honra de tê-los como patronos desde o ano de 1600. na Umbanda Cosme e Damião são chamados de Ibejí- Nbaijada-Beijada_dois_dois, pertencem a linha de Oxalá formando a Falange dos Gêmeos, na qual se inclui ainda o aparecimento de Daum, Crispim e Crispriniano.

Linha de Yori

A história de Cosme e Damião pode confundir os praticantes da Umbanda. Porque os negros escolheram a imagem deste mártires para simbolizar a linha Yori, ou Ibejada ? Alguns historiadores explicam que a aparência jovem e a alegria estampada em seus rostos foi uma das razões. Vamos a alguns detalhes sobre esta linha: �? grande o número de designações populares para essa linha : São Cosme e Damião, Ibeji ou Ibejê, linhas das crianças, dos curumins, do oriente, etc.. Essas entidades, altamente evoluídas, externam pelos seus cavalos, maneiras e vozes infantis de modo sereno, às vezes um pouco vivas. Dão consultas profundas e gostam, quando no plano de protetores, de sentar no chão e comer coisas doces, mas sem desmandos. Seus pontos cantados são melodias alegres e algumas vezes tristes, falando muito em papai e mamãe de céu e em mantos sagrados. A cor , na maioria das vezes, é o rosa, mas pode ainda ser usado o vermelho, o planeta é Mercúrio, o dia é a Quarta-Feira. Os sete chefes principais de legiões são : 1-Tupanzinho, 2-Ori, 3-Yariri, 4-Doum, 5-Yary, 6-Damião e 7-Cosme.

OBS: Aquele personagem pequenino que é presente diante da imagem dos dois santos, não é irmão deles e muito menos santo. �? um simples enfeite gratuito e sentimental, simbolizando a criança, que foi sempre a predileção dos santos durante o tempo do seu apostolado médico e cristão. Aquele pequeno chamado Daum ou Doum, não pode constar na vida dos santos pela simples razão de que nunca existiu na realidade.