Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

A gentileza entre os familiares representa gotículas de luz em permuta de vida. Sem ela, a harmonia torna-se um tanto difícil dentro de casa.
Essa gentileza não deve morrer, mas sim aumentar de estrutura, ramificando-se em todos os continentes sentimentais, para que a inteligência possa sentir a verdade e o coração o amor.
Nos sons das palavras, nos gestos e em todas as atitudes, a gentileza deve ser o primeiro apanágio, principalmente no lar, em conversa na orientação dos filhos. Nunca deves perder o controle, na certeza de manifestares a candura, a polidez em todas as conversações, na escrita e até no pensamento, que terás sempre o equilíbrio.
A brandura é o melhor remédio para o nervosismo. Se a tua experiência te convidar ao silêncio, cala-te que, pela compreensão que tiveres e pelo amor que nutrires, logo passará a tempestade, retornando a bonança. A caridade oferta-nos um clima de paz e a gentileza é uma das modalidades mais expressivas da caridade.
Todo esse trabalho é feito para salvaguardar a harmonia no lar, porque um lar desajustado reflete muito na família inteira. ? proveitoso dizer que Deus não nos fez para vivermos em tormentos de contradições eternas, mas sim para tirarmos dos impactos ideológicos as lições proveitosas, o material para a paz e para extrairmos dos problemas, as experiências para o amor verdadeiro.
Dêem-vos as mãos, meus filhos e fazei desse entrelaçar de dedos a consolidação do amor nas vossas vidas, compreendendo o benefício da gentileza na sustentação da alegria permanente. Conversai os dois, para que entendais a melhor maneira de educar os filhos pelo exemplo. Conversai, meus filhos, os dois, para que a gentileza seja uma só aura para vós e para que sejais juntos também na fidelidade e no amor.

LIVRO: Ele e Ela
AUTOR: João Nunes Maia
DITADO PELO ESPÍRITO: Maria Nunes