Tenda Espírita Caxana

Fé e Caridade

Em 1965, a Casa de Oração de Pai Anacreto foi obrigada a fechar, deixando uma lacuna nos corações dos irmãos frequêntadores daquela casa. Impulsionados pelos guias e incentivados pelos amigos e familiares, um grupo de obreiros deram inicio a uma verdadeira jornada, que hoje chamamos Tenda Espírita Caxana. 

 Acompanhando a linha do tempo, podemos ter uma noção dos trabalhos desenvolvidos pelos nossos irmãos.

Convite aos irmãos da Casa de Oração de Pai Anacreto

  Meu irmão, Paz em Jesus. Você que teve ocasião de freqüentar as sessões espíritas, na casa de Oração de Pai Anacreto, Tomou conhecimento do fechamento do referido terreiro, em virtude do nossos irmão Renê ter que entregar a casa onde funcionava o mesmo, ao seu proprietário. Impulsionado pelas forças do nossos guias, tomamos a resolução de fundar uma Tenda que sob nova orientação e com auxilio material dos irmão de boa vontade, virá preencher a lacuna deixada pela antiga casa de oração. Para realização desse ideal que é o desejo de inúmeros irmão que nos tem procurado, humildemente, convocamos o bom irmão para uma reunião preliminar, à Rua Alexandre Gasparoni, 254 Marechal Hermes, Onde nossos esforços serão concentrados para a consecução deste desideratum. Contando com sua presença, desde já, agradece o irmão em Cristo. 

Bento Borges

Ata de Reunião de 10 de abril de 1965

  No dia 10 de Abril de 1965, ano do IV centenário do Rio de Janeiro, na rua Alexandre Gasparona, 254, em Marechal Hermes, residência de Bento Borges, foi fundada a TENDA ESPÍRITA CAXANA, em sessão realizada pelos presentes, abaixo mencionados e que teve início às 20:10 h e término às 22:15 h . Estiveram presentes Bento Borges, Renê Niemeyer, Antônio Ferreira Pinto, Henrique Borges Filho, Bruno Pereira Reis, Henrique Borges Netto, Wilherme Borges, Renato Borges, José Texeira Carvalho, José Joaquim de Figueiredo, Feliciano Moreira Oliveira, Waldenir Viera da Silva, Waldemar Gonçalves Fernandes, Hélcio Borges, Heraldo Borges, Heitor Borges, Waldemar Vieira da Silva, Zeferino Silveira Borges, Hélio Borges Sobrinho. Foram representados por procuração, Fernando de Souza Lima, Hildemar Alves Carvalhosa e Murilho Costa.

As Fotos abaixo são do dia 10 de abril de 1965, data da fundação da T.E.C e os comentários constam do verso das fotos em destaque.


Discurso do diretor espiritual Bento Borges.


Discurso, o diretor espiritual Bento Borges, falando sobre a inauguração da T.E.C ao seu lado direito ve-se o "gongá" de Ogum e em frente , o estandarte da tenda, em pé, estão os sócios fundadores Herinque Borges Netto - 2º Tesoreiro, Mário de Souza Paes e Waldenyr Pereira da silva, membros do conselho Fiscal. 


Mesa que presidio os trabalhos. Da esquerda para a direita, em pé: Waldemar G. Fernandes, Heraldo Borges, Murilo Costa, henrique Borges Netto, Mário de Souza Paes, Waldenyr Vieira da Silva e feliciano Moreira Oliveira, sentandos na mesma ordem: dr Wilherme Borges, Bento Borges, René Niemeyer, Herinque Borges filho, e Antônio Ferreira Pinto


Discurso do Diretor Espiritual Bento Borges, Ao fundo o "gongá" de Ogum.


Nesta foto, vê-se o"gongá" principal da T.E.C estando diante dele o diretor espiritual Bento Borges, o vice-presidente Herinque Borges Filho e o 1º secretário Wilherme Borges


O 1º secretário Wulherme Borges, corta uma fatia do Bolo, na presença do diretor espiritual Bento Borges , dona Zilnah Niemeyer e o sócio fundador Marcos Vinicius Niemeyer


Grupo de sócios fundadores, em frente ao "gongá" principal


Um aspecto da mesa e da assistência quando falava o diretor espiritual Bento Borges, ao fundo dois representantes da igreja maçônica Estrela do Rio de Janeiro  e fazendo parte da mesa o senhor Darío, representante da Ordem Espiritualista Terezinha do Menino Jesus


Inauguração do quadro do retrato do sócio fundador e benemérito Waldemar Vieira da Silva, com a presença de sua esposa e filhos


Os dois bolos comemorativos da fundação da T.E.C. Um nas mãos do presidente Renê Niemeyer e senhora Zilnah Niemeyer e o outro seguro pelo diretor espiritual Bento Borges e sua senhora Hyldeth Carvalhosa Borges


Um aspecto da assitência quando falava o presidente René Niemeyer


Um angulo da assistência quando falava o diretor Bento borges




Ata de Reunião de 8 de maio de 1965

  No dia 8 de Maio de 1965 foi realizada a sessão espiritual em casa do irmão presidente estando presente os seguintes membros da diretorias e conselho fiscal respectivamente: Renê Niemeyer, Bento Borges, Henrique Borges Filho, Antônio Ferreira Pinto, Henrique Borges Neto, Mário de Souza Paz, Hélio Borges sobrinho. Baixaram os Caboclos ITAPEVA e SETE MATAS. Foram então apresentados as entidades os projetos da planta da sede provisória e da definitiva. Os guias acordaram que se edificasse primeiro a sede provisória para depois se lançar a campanha da sede definitiva. Apenas uma corrigenda foi feita quanto a localização do "Gongar" que foi colocado de frente para rua. Submetido os desenhos para a confecção do brasão para o distintivo da tenda e para figurar no estandarte e nos uniformes dos médiuns e diretores, as citadas entidades escolheram o desenho executado pelo irmão Renê Niemeyer, em que o mesmo numa inspiração maravilhosa conseguiu entrosar os pontos de PAI CAXINXE e ANACRETO em um só ponto de efeito artístico e maravilhoso. Após certas corrigendas na disposição, somente do nome da tenda no referido ponto, assim ficou constituída. Muitas considerações foram feitas e muitos conselhos dados aos presentes, incrementando-lhes a fé , o amor a causa abraçadas, pelos bondosos "guias" presentes a esta sessão. Finalizando os trabalhos o irmão presente fez uma prece de agradecimento pela graça que nos foi concedida.


Ata de Reunião de 12 de maio de 1965

  Na reunião do dia 12 de maio de 1965, tomamos conhecimento de dois documentos enviados ao irmão Bento Borges pelo senhor Thalis Tinôco em nome da sociedade de estudo e planejamento de Obra "SEPOL LTDA" uma carta e um recibo. carta tinha o seguinte dizeres : Rio de Janeiro 12 de maio de 1965. Ilmº Sr Bento Borges Nesta Prezado senhor. Em atenção a sua consulta sobre o preço do lote do terreno nº 55, do loteamento de Vila Tereza de que trata o P.A.24651 de 25 de Novembro de 1963 situado entre a rua Princesa Leopoldina leito da Estada de Ferro Central do Brasil e a Estrada General Canrobert Pereira da Costa, vimos informar a V.S. que o preço e condição de venda do mencionado lote são os seguintes: Preço Cr$ 4.300,00 (Quatro milhões e Trezentos mil Cruzeiros) Condições Cr$ 520.000,00 (Quinhentos e Vinte mil Cruzeiros), de sinal , sendo que o dito sinal será resgatado em parcelas de Cr$ 100.000,00 ( Cem mil Cruzeiros). O restante do preço , isto é, Cr$ 3.870.000,00 ( Três milhões oitocentos e setenta mil Cruzeiros) em prestações mensais reajustáveis de acordo com as mutações do salário mínimo, no máximo em número de 90 (Noventa) de Cr$ 43.000,00 (Quarenta e três mil Cruzeiros) . Sem outro assunto e na expectativa de suas prezadas ordens, sobrescrevemo-nos com estima e apreço, atenciosamente. (a) Thales Tinoco. O Recibo esta concebido nos seguintes termos: Cr$ 520.000,00 A Sociedade de Estudo e Planejamentos de Obras " SEPOL LTDA" com sede nesta cidade a rua São José nº 90 conjunto 508, neste ato representado por seu representante legal abaixo assinado, declaro para fim de direito que recebeu do senhor Bento Borges, Brasileiro, casado, militar, residente e domiciliado nesta cidade à rua Alexandre Gasparoni 254, em Marechal Hermes, a importância supra de Cr$ 520.000,00 ( Quinhentos e Vinte mil Cruzeiros), como sinal de reserva para compra do lote de terreno nº 55 da rua particular de que trata o loteamento do P.A. 24651, de 25 de Novembro de 1963, Loteamento esse que fica situado entre a Estrada Canrobert da costa. Na reunião do dia 12 de maio de 1965, tomamos conhecimento de dois documentos enviados ao irmão Bento Borges pelo senhor Thalis Tinôco em nome da sociedade de estudo e planejamento de Obra "SEPOL LTDA" uma carta e um recibo. carta tinha o seguinte dizeres : Rio de Janeiro 12 de maio de 1965. Ilmº Sr Bento Borges Nesta Prezado senhor. Em atenção a sua consulta sobre o preço do lote do terreno nº 55, do loteamento de Vila Tereza de que trata o P.A.24651 de 25 de Novembro de 1963 situado entre a rua Princesa Leopoldina leito da Estada de Ferro Central do Brasil e a Estrada General Canrobert Pereira da Costa, vimos informar a V.S. que o preço e condição de venda do mencionado lote são os seguintes: Preço Cr$ 4.300,00 (Quatro milhões e Trezentos mil Cruzeiros) Condições Cr$ 520.000,00 (Quinhentos e Vinte mil Cruzeiros), de sinal , sendo que o dito sinal será resgatado em parcelas de Cr$ 100.000,00 ( Cem mil Cruzeiros). O restante do preço , isto é, Cr$ 3.870.000,00 ( Três milhões oitocentos e setenta mil Cruzeiros) em prestações mensais reajustáveis de acordo com as mutações do salário mínimo, no máximo em número de 90 (Noventa) de Cr$ 43.000,00 (Quarenta e três mil Cruzeiros) . Sem outro assunto e na expectativa de suas prezadas ordens, sobrescrevemo-nos com estima e apreço, atenciosamente. (a) Thales Tinoco. O Recibo esta concenrobert Pereira da Costa, Princesa Leopoldina e leito da Estrada de Ferro Central do Brasil. ( Obedecendo as condições já estabelecidas na carta enviada pelo proprietário Thales Tinoco) . OBS: Foi feita toda a transação em nome do irmão Bento Borges, tendo este assumido toda a responsabilidade presente e futura, pois a "SEPOL LTDA", recusou-se a assinar o contrato de venda do terreno com o nome da Tenda Espírita Caxana por motivos fúteis e que nem importância teve para nós demover da aquisição do lote 55, da Vila Tereza. Na ocasião da escritura tudo passará para o nome da Tenda Espírita Caxana.

A primeira diretoria de 10 de abril de 1966

  •  Presidente : Renê Niemeyer 
  •  Vice-Presidente : Herinque Borges Filho
  • Primeiro Secretário: Dr Wilherme Borges
  • Segundo Secretário : Bruno Pereira Reis
  • Primeiro Tesoureiro : Antônio Ferreira Pinto
  • Segundo Tesoureiro : Henrique Borges Neto
  • Procurador: Murilo Costa.

O irmão Bento Borges tendo dado posse à novel e primeira diretoria da Tenda passou a integrar o número dos irmãos assistentes. Por unanimidade, ficou aprovada a resolução da diretoria que o cargo de diretor espiritual seria exercido pelo irmão Bento Borges, sendo lhe concedido o título de sócio fundador número 1 e membro nato da diretoria.




mosaico da TEC

Ata de Reunião de 21 de julho de 1966

  O diretor espiritual apresentou uma lista dos símbolos necessário ao Gongar e uma relação de objetos a serem adquiridos para o culto. 

São as seguintes imagens que foram doadas pelos sócios fundadores:

  • IEMANJÁ : Henrique Borges Filho
  • OXOSSI : Heraldo Borges
  • OGUM : Hélio Borges Sobrinho
  • XANGÔ : Fernanda Assunção Tamico
  • JOÃO BATISTA : Hélcio Borges
  • LÁZARO : Heitor Borges
  • SANTO ANTÔNIO : Antônio Ferreira Pinto
  • SÃO BENEDITO: Murilo Costa
  • SÃO CIPRIANO : René Niemeyer
  • SÃO MIGUEL ARCANJO : Wilherme Borges
  • SÃO PEDRO : Bento Borges
  • IMACULADA CONCEIÇÃO : Feliciano Silveira Borges
  • INHAÇÃ : Zeferino Silveira Borges
  • BEIJADA : Hyldeth Alves Carvalhosa
  • SÃO JOSÉ: René Niemeyer
  • SEREIA DO MAR : Hildemar Alves Carvalhosa
  • NANÃ BURUQUÊ : Renato Borges
  • PARÁCLITO : Fernando Souza Lima
  • CRUCIFIXO : Mário de Souza Pais
  • CABOCLO ARAÚNA : Bento Borges
  • EXÚ TRONQUEIRA : Henrique Borges Netto

Ata de Reunião de 26 de novembro de 1966

Tudo em ordem e em dia, conforme planejado, chegamos no dia da inauguração em 26 de novembro de 1966. toda diretoria presente, o salão repleto de sócios fundadores e mantenedores, convidados e vizinhos, autoridades da XV região Administrativa de Bangu , o Presidente René Niemeyer fez uma breve alocução precedida de uma prece e abriu a sessão solene para inauguração no novo templo. Em seguida passou a palavra ao diretor espiritual Bento Borges para que fizesse histórico da Tenda Espírita Caxana. Foi o seguinte discurso pronunciado pelo diretor Espiritual : Meu irmão Presidente da Tenda Espírita Caxana; meus irmão Diretores; Srs representantes das Tendas co-irmãos; Sr representante da Loja Maçônica Estrela do Rio; Sr Presidente do Condomínio da Vila Tereza; Sr representante da XV Região Administrativa; meus irmão e minhas irmãs. Minhas primeiras palavras são dirigidas aos meus irmão diretores da Tenda Espírita Caxana. Ao apresentar-vos nossas saudações fraternais, em nome do Cordeiro de Deus, Formulamos votos para que do alto continue a chover sobre nossas cabeças as luzes da espiritualidade que vos encaminharam a esta casa, a que vindes oferecendo a vossa cooperação como instrumentos daqueles que vos inspiram, para que a obra de Caxinxe e Anacreto prossiga serena no trabalho da caridade e da moral cristã cumpre-nos agradecer a confiança que em nos depositastes, com a nossa escolha, para dirigir os trabalhos espirituais da Tenda Espírita Caxana, diante da vossa bondade e confiança, dando-nos o vosso apoio unânime, pesamos bem a nossa responsabilidade e nos conservamos em prece, durante todo esse período, a suplicar do Cristo o perdão para o passado de nossas encarnações de desserviços, misericórdia para que não viéssemos falir nessa oportunidade que se nos apresentava para servi-lo e bem assim, o amor do seu magnânimo Espírito para que as nossas decisões não se afastassem da trajetória de luz que sempre iluminou o c?aminho percorrido pelos nossos bons guias. Acusa-nos a consciência que muita coisa deixamos de realizar e que outras tantas não alcançaram a perfeição com que sonhávamos, enquanto esperávamos este maravilhoso dia; no entanto crede, que ao proferirmos o presente balanço que são estas palavras simples e despretensiosa, não nos acusa ela senão de deficiência intelectual e espiritual, porque também nos diz que as nossas possibilidades humanas não poderiam ir além daquilo que nossos guias nos deixaram supor ter sido realização nossa. E, por isso mesmo, devemos confessar-nos que as dificuldades que se nos depararam, e que julgamos intransponíveis, foram vencidas com relativa facilidade, o que nos demonstram terem sido eles, e não nós, os operários dessa obra divina, qual seja a de criar no coração de cada ser um templo, onde resida, permanentemente, aquele que nos dirigi, protege e encaminha desde a formação do planeta em que habitamos. As nossas deliberações todas elas resolvidas e aprovadas unanimente, pela Diretoria, foram sempre objeto de acurados estudos, e muitas vezes, auscultamos a opinião de companheiros que pertencem ao quadro social, aproveitando-lhe a visita que faziam a nossa residência e adquirimos novas energias para o desempenho do nosso cargo. De todos, recebemos sempre o conforto que os seus esclarecidos espíritos nos ofereceram, e foi assim, dessa forma, que chegamos a esta inauguração. de joelhos, espiritualmente de joelhos, nos colocamos neste momento, diante do Cristo do Cristo, agradecendo-lhe o amparo que nos concedeu e pedindo-lhe a continuação de suas bênçãos, não somente para a direção desta casa, mas também para todas organizações Umbandista do país, livrando-nos a todos, da vaidade, da ambição e da presunção, fatores preponderantes de todas as deturpações que se verificam através dos séculos até a chegada do Consolador, do qual desejamos servir, com humildade e ao qual, repetimos, nos entregarmos como servos, afim de que se cumpra em nós integralmente, a vontade do Pai e do seu Filho muito amado.